Dinâmica reunião de pais

Praia Grande » Dinâmica de Reunião de Pais
Por » Silvia Rossine Editorial » Silylandia




Silylandia apresenta um artigo muito bem elaborado sobre uma dinâmica de reunião de pais, apresentamos os principais pontos para se fazer numa reunião de pais.












1- entregar para cada pais uma folha de revista, pedir para que eles amassem a folha e entreguem a professora(vc), um de cada vez.....mas ao amassar dizer uma coisa que não gosta no filho, alguma coisa que o filho faça que os pais não gostem.....depois entregam a folha amassada a professora (vc). Esta vai pegando todas as folhas e formando uma bola com elas......e vai ouvindo.......ao terminar a professora comenta que cada filho é diferente e tem alguma coisa, pelo menos uma coisa, que os pais não gostam, imagina a professora que tem todos os alunos, todos com suas diferenças e defeitos, manias.....e ela(prof.) tem que saber lidar com todos, e tb com os pais.....olha só como é difícil, para isso terá que ter o apoio destes apis, que são os que mais conhecem seus filhos, suas qualidades e defeitos......(mais ou menos isso, pode continuar falando mais coisas se quiser...)


2- entregar uma folha de sulfite para cada pais, pedir que façam um desenho e
pintem......não explicar mais nada, dar o lápis de cor para pintura tb, colocar uma musica de fundo, suave, dar um tempo para a finalização. Após desenharem e pintarem, irem entregando a professora(vc), esta pega as folhas mas não olha nem comenta.....após recolher todas as folhas, junte todas, rasgue e jogue na lata de lixo. Aí questiona os pais o que sentiram ao ter sua folha rasgada e jogada no lixo.....irão falar muitas coisas.....aí a professora coloca que é o mesmo sentimento que o launo(filhos deles) sentem quando chegam da escola contente pra contar o que aconteceu ou então trazendo os trabalhinhos feitos em aula e os pais deixam pra ver ou ouvir depois.....é como jogar no lixo.....( e aí vai falando...)


Texto reunião de pais

Desconheço autoria, mas compartilho com vcs!



FLOQUINHOS DE CARINHO


Havia uma aldeia onde o dinheiro não entrava.
Tudo o que as pessoas compravam, tudo o que era cultivado e produzido por cada um, era trocado.
A coisa mais importante, a coisa mais valiosa, era a AMIZADE.
Quem nada produzia, quem não possuía coisas que pudessem ser trocadas por alimentos ou utensílios, dava seu CARINHO.
O CARINHO era simbolizado por um floquinho de algodão. Muitas vezes, era normal que as pessoas oferecessem floquinhos de algodão sem querer nada em troca, pois sabiam que nunca ficariam sem floquinhos.
Um dia, uma mulher muito má, que vivia fora da aldeia, convenceu um pequeno garoto a não mais dar seus floquinhos. Desta forma, ele seria a pessoa mais rica da cidade e teria o que quisesse.
Iludido pelas palavras da malvada, o menino, que era uma das pessoas mais populares e queridas da aldeia, passou a juntar CARINHOS e em pouquíssimo temo sua casa estava repleta de floquinhos, ficando até difícil de circular dentro dela.
Daí então, quando a cidade já estava praticamente sem floquinhos, as pessoas começaram a guardar o pouco CARINHO que tinham e toda a HARMONIA da cidade desapareceu. Surgiram a GANÂNCIA, a DESCONFIANÇA, o primeiro ROUBO, o ÓDIO, a DISCÓRDIA, as pessoas se XINGARAM pela primeira vez e passaram a IGNORAR umas as outras na rua. Como era o mais querido da cidade, o garoto foi o primeiro a sentir-se TRISTE e SOZINHO, então procurou a velha para perguntar-lhe se aquilo fazia parte da riqueza que ele acumularia. Não a encontrando mais, ele tomou uma decisão: pegou uma grande carriola, colocou todos os seus floquinhos em cima e caminhou por toda a cidade distribuindo aleatoriamente seu CARINHO. A todos que dava CARINHO, apenas dizia: Obrigado por receber meu carinho.
Assim, sem medo de acabar com seus floquinhos, ele distribuiu até o último CARINHO sem receber um só de volta.
Sem que tivesse tempo de sentir-se sozinho e triste novamente, alguém caminhou até ele e lhe deu CARINHO. Um outro fez o mesmo... mais outro... e outro... até que definitivamente a aldeia voltou ao normal.


Queridos pais, 


Aceitem meu floquinho como prova do meu carinho, pois é assim que pretendo conduzir meu trabalho neste ano de 2009.
Quero partilhar com vocês a alegria de conviver e de educar “nossos” pequeninos, com toda dedicação e prazer!
Um abraço cheio de carinho,
Postar um comentário